26 de June de 2019

Estradas Inteligentes

Leia este artigo e saiba mais sobre as rodovias inteligentes (Smart Highways).

Viajar com a família ou com os amigos é sempre um momento especial. Mas, como tudo na vida, isso exige planejamento – da pré-viagem até as compras de souvenirs. Documento, definição de destino, reserva de hotel e a programação do roteiro são algumas das etapas para que tudo aconteça, da melhor maneira possível, sem imprevistos. Mas existe outro item que faz parte deste pacote e que, muitas vezes, não é percebido pela maioria das pessoas, a tecnologia. E, desta vez, não estamos falando dos equipamentos que estão na sua bagagem (celular, câmera fotográfica), mas das soluções disponíveis nas rodovias inteligentes (Smart Higways).

Trata-se de um marco para o setor de transporte rodoviário, de veículos de carga e passeio, com mais segurança e comodidade para os motoristas. Seja na captação e produção de energia solar para abastecimento de carros elétricos, na redução de infrações e acidentes, no controle de tráfego, na identificação de situações anormais das vias e até mesmo na diminuição de poluentes. Não fique assustado, pois, estes são apenas alguns exemplos que já estão em operação.

Outra realidade, que pode parecer um pouco estranha, são as estradas que brilham no escuro – resultado da pintura especial nos contornos das rodovias e da tecnologia que retém a luz solar, durante o dia – e que dispensam o uso de iluminação pública, garantindo um consumo por até 10 horas no período noturno. Mais que iluminar, elas ainda apontam as condições da pista, a temperatura local (quando muito baixas sinaliza imagens de flocos de neve – indicando cautela e risco de via escorregadia). E que tal viajar sem se preocupar em parar em um posto de combustível para reabastecer? Sim, modelos elétricos terão faixa exclusiva para recarregamento, enquanto estão em funcionamento nas estradas. Achou interessante? Estas inovações e mais outras 20 são algumas das criações do designer holandês Dann Roosegaarde. 

E a indústria automotiva é uma peça-chave neste cenário, principalmente, com o aumento de carros com componentes mais interativos, que auxiliam os motoristas com informações, em tempo real, sobre as condições das estradas, por exemplo. A ideia é auxiliar também na redução de poluentes, com a troca de veículos com queima de combustível pelos modelos elétricos. Já as estradas inteligentes terão o papel de reduzir o número de acidentes, com a instalação de um processo de sinalização mais eficaz.

Um giro pelo mundo

Desde 2015, a Coreia do Sul conta com uma estrada que produz energia, por meio de placas colocadas no teto de uma ciclovia, que divide as duas pistas para automóveis.

A China, considerada o maior emissor de gases do efeito estufa do mundo, inaugurou, em 2019, uma estrada energizada, na cidade de Jinan. Com painéis solares embutidos no próprio piso da rodovia e num trajeto de apenas dois quilômetros, conseguem gerar até um milhão de kw/h, por ano. Por enquanto, eles estão sendo usados para iluminar letreiros digitais e alimentar um sistema de derretimento de neve, mas no futuro servirão para recarregar automaticamente veículos elétricos – sem necessidade de ligá-los por fio a uma rede. 

Na França, a estrada, em construção, ainda não foi aberta ao público, mas é parte de um projeto bastante ambicioso: a implantação de 960 km de rodovias energizadas. 

Já na Holanda, a estrada solar, em desenvolvimento, não tem painéis no piso, mas suas estruturas laterais servem também para isolar o barulho do movimento de carros. Na cidade de Jelsum, uma rodovia toca música para alertar os motoristas que ultrapassam o limite de velocidade, mas a novidade não agradou muito os moradores locais.

No Brasil, uma das estradas que tem aplicado à tecnologia para se conectar com seus usuários é a Régis Bittencourt (BR 116) – também conhecida, popularmente, como rodovia da morte – que liga a cidade de São Paulo a Região Sul do Brasil. É que a concessionária responsável pela via, a Arteris, criou o programa “Cidadãos Conectados” onde os usuários têm acesso às informações, confiáveis, sobre acidentes e interdições na via. Tudo isso, por meio de uma parceria que envolve o Waze e os Centros de Controle Operacionais (CCOs). 

E tudo isso por quê? Para tornar a sua viagem mais segura e com comodidade. Seja com a circulação de carros autônomos, elétricos ou voadores, isso se chama tecnologia. Este é o futuro rent a car!
Deixe um comentário: