Blog Mobility todas
BLOG232432432423432423423432423432432432432432432 Roteiros Dinamarca

24 de julho de 2018

Roteiro | Dinamarca

A Dinamarca é o único pedaço da Escandinávia que é ligado à Europa continental, fazendo fronteira com a Alemanha. Mas é mais próxima – em espaço e em espírito – dos colegas ao norte do que dos vizinhos ao sul. Copenhague merece vários dias de visita, mesmo que você deixe o carro de lado para passear a pé ou de bicicleta. Depois, explore o interior do país com seu carro alugado, conhecendo suas cidades medievais e os impressionantes fiordes. O Reino da Dinamarca é formada por 406 ilhas, mas a maior parte delas é ligada por excelentes estradas.

A Dinamarca é o único pedaço da Escandinávia que é ligado à Europa continental, fazendo fronteira com a Alemanha. Mas é mais próxima – em espaço e em espírito – dos colegas ao norte do que dos vizinhos ao sul. Copenhague merece vários dias de visita, mesmo que você deixe o carro de lado para passear a pé ou de bicicleta. Depois, explore o interior do país com seu carro alugado, conhecendo suas cidades medievais e os impressionantes fiordes. O Reino da Dinamarca é formada por 406 ilhas, mas a maior parte delas é ligada por excelentes estradas.

Dia 1 e 2 Copenhague – 50 km
Aluguel de carro Copenhague - 50 km
Alugue um carro e curta a capital da Dinamarca com calma e serenidade – traços, aliás, típicos dos próprios moradores. Construções belíssimas, nunca mais altas que seis andares, sempre coloridas e cheias de janelas, rendem uma infinidade de fotos. Fundada em 1167 pelo bispo Absalon, já sob influência católica, Copenhague tem um grande número de castelos, museus e parques interessantes. Comece o passeio pela Radhus (Prefeitura), dotada de um curioso relógio astronômico. Siga depois para a Praça de Gammel Torv e sua encantadora fonte. Pertinho daqui fica o Palácio de Charlottenborg, do século XVII. Encerre o passeio para tomar uma cerveja nos bares de Nyhavm (Porto Novo), a restaurada e fotogênica região do cais do porto de Copenhague, outrora um pedaço degradado da cidade. Comece a apreciar a culinária típica com um smorrebrod, o típico sanduíche dinamarquês 

Slotsholmen
Rodeada pelo porto e por canais que a separam da cidade, a pequena Ilha de Slotsholmen, dentro do Copenhague, abriga uma quantidade impressionante de atrações. Nela fica oPalácio de Christianborg, do século 20; o Folketing (Parlamento), as ruínas da Fortaleza de Absalon, da época da fundação da cidade (século 12) e o museu Teatermuseet, com a história do teatro desde o século 18 e o curioso Museu de Trajes, entre outras atrações.

. O passeio pode continuar no mesmo dia ou no dia seguinte. Mas é preciso se planejar para não deixar passar as seguintes atrações: Palácio de Amelienborg, residência oficial da rainha Margrethe II, formado por quatro palácios idênticos do século 18 (há troca da guarda todos os dias ao meio-dia, não perca!); a Rundetarn (Torre Redonda), erguida a mando do rei Christian IV (que adorava uma obra), em 1642, com um mirante a 209 metros de altura; o Parque Tivoli, primeiro parque de diversões da Europa, da metade do século 19, e a Ilha de Slotsholmen

Culinária dinamarquesa
Nos últimos anos, a culinária dinamarquesa ganhou fãs pelo mundo pelo aproveitamento de ingredientes inusitados – como cascas de árvore. O templo dessa nova gastronomia é o restaurante Noma, eleito melhor do mundo pela Restaurant`s World em 2010. Se você não quiser experimentar essas inovações, tudo bem: a culinária tradicional também vale a pena. Ninguém escapa de um passeio da Dinamarca sem pelo menos um smorrebrod – normal mesmo é provar muitos desses sanduíches abertos típicos, que os locais consomem como almoço. O smorrebrod leva pão, manteiga e uma variedade de recheios, que incluem normalmente peixes defumados e molhos. O mais clássico leva arenque e alcaparras. Também é típico do país o bufê de pratos frios e quentes, novamente com vários tipos de peixes defumados e também embutidos, verduras e queijos. As cervejas, sobretudo as locais Calsberg e Tuborg, acompanham. Os doces dinamarqueses são conhecidos no mundo todo por suas camadas finas de massa intercaladas de cremes e recheios diversos.

. Acredite se quiser, outros palácios e castelos e uma infinidade de bons museus ficaram fora do roteiro – Copenhague é mesmo surpreendente.

Dia 3 Copenhague / Roskilde / Helsingör / Copenhague – 120 km
Aluguel de carro Copenhague / Roskilde / Helsingör / Copenhague - 120 km
São muitas as atrações nas pequenas cidades nos arredores de Copenhague. Escolhemos duas imperdíveis: Roskilde, ao sul da cidade, e Helsingör, à leste da capital. Na Catedral de Roskilde, construída no século 12 em estilo gótico e toda em tijolos, são enterrados os reis dinamarqueses desde a Idade Média. Em Roskilde vale também ver o Vikingeskibshallen, museu onde estão cinco barcos vikings que afundaram no ano 1000. EmHelsingör fica um dos castelos mais famosos do mundo: o Krongborg, erguido entre 1574 e 1585, em estilo holandês renascentista, e reconstruído no século seguinte após um devastador incêndio. É aqui, nesse cenário sombrio, que se passa o clássico Hamlet, de Shakespeare 

 

Helsingor e Hamlet

A frase mais famosa de Hamlet (e uma das mais difundidas do teatro para o mundo) é “Ser ou não ser: eis a questão”. Mas Hamlet também tem outra que ninguém esquece: “Há algo de pobre no reino da Dinamarca”. Ambas saíram da mesma peça do inglês William Shakespeare, escrita em 1600/1601, uma ficção que se passa no Castelo de Helsingör, assombrado pelos ventos frios e pela culpa do príncipe. O visual é mesmo arrebatador: o castelo é cercado por um muro duplo e uma fossa. Várias salas são abertas ao público, entre elas as salas reais, a de cerimoniais e a igreja.

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

Dia 4 Copenhague / Odense – 150 km
Aluguel de carro Copenhague / Odense - 150 km
É hora de deixar a região central do país e seguir para o oeste, com destino a Odense, na Ilha de Fyn. Para chegar lá, é preciso atravessar uma ponte de 18 quilômetros, a segunda maior ponte suspensa do mundo. Odense é a cidade de Hans Christian Andersen, o dinamarquês mais conhecido no mundo, autor de fábulas infantis como O Patinho Feio e A Pequena Sereia

Hans Christian Andersen
Nascido em 1805 em Odense, Hans Christian Andersen teve uma infância pobre. Sua única distração era ouvir as histórias que o pai, sapateiro, contava e encenava, até sua morte, quando Hans tinha 9 anos. Hans logo depois deixou sua casa e foi viver em Copenhague. Foi ator e encenador de teatro até descobrir seu talento para a literatura infantil, aos 20 anos. Escreveu clássicos como O Patinho Feio, A Pequena Sereia, O Soldadinho de Chumbo, As Roupas Novas do Imperador e A Colina dos Elfos. Morreu em Copenhague em 1875, sem deixar filhos.

. Para saber mais sobre o autor, há uma Rota Andersen, mas você pode fazer tudo por conta própria. A casa do escritor é a principal atração da cidade – embora todo mundo ache que só o fato de pisar lá e ver sua magnífica arquitetura e paisagem já valha a visita. Tudo é meio mágico: muitas casas têm um curioso espelho retrovisor nas janelas para que o morador veja a rua (ou bisbilhote, dependendo do contexto), sem ter de sair. Bisbilhote a cidade sem remorsos.

Dia 5 Odense / Arhus – 90 km
Aluguel de carro Odense / Arhus - 90 km
A viagem entre Odense e Arhus passa por cenários fantásticos. Você cruza o mar e entra na Jutland, província com aquelas paisagens que só a Escandinávia tem: fiordes profundos com vilarejos de casas coloridas incrustadas nas encostas, praias serenas (geladíssimas, claro) e muito verde. O destino é Arhus, segunda maior cidade do país. Arhus é um centro cultural fervilhante, com festivais de música clássica, jazz e rock tomando as longas noites do verão. Em setembro, um importante festival de teatro e dança reúne milhares de europeus. Visite a Den Gamle By (Cidade Velha), um museu a céu aberto com 75 casas que abarcam a arquitetura da Dinamarca do século 16 ao século 20. Dentro delas funcionam ateliês e lojas diversas, com produtos incríveis como as famosas porcelanas dinamarquesas, as peças em lã e peles.

Dia 6 Arhus / Copenhague – 240 km
Aluguel de carro Arhus / Copenhague - 240 km
Hora de pegar o caminho de volta para a capital. Como a viagem é curta, aproveite para curtir outras atrações nos arredores de Copenhague, como o Castelo e o Parque de Fredreriksborg, obra renascentista próxima de outra pérola, o Castelo de Fredensborg, residência real durante a primavera e o outono. Ambos ficam em Hillerod, cidade que fica 35 quilômetros a oeste de Copenhague. Quem gosta de arte moderna pode ir ao vilarejo pesqueiro de Humbaek, a 34 quilômetros ao norte da capital, cujo Museu Lousiana conta com uma grande coleção de pintura contemporânea dos países nórdicos. A não ser, é claro, que você prefira entrar diretamente em Copenhague e visitar todos aqueles castelos, museus e parques que faltaram nos primeiros dias. Ou apenas sentar, pedir uma Calsberg e um smorrebrod e ver a vida passar, à dinamarquesa.

 

As melhores locadoras, carros de luxo, transfers e motoristas à sua disposição na Mobility.
Alugue agora o carro que mais combina com essa viagem no site www.mobility.com.br!
Deixe um comentário: